Tags

, , , ,

Nessa semana, tornou-se um viral na internet um vídeo veiculado pela Veja de São Paulo em seu canal oficial no Youtube que conta a história de Alexander de Oliveira, um empresário que se autointitula o “rei do camarote” e elenca os “mandamentos do rei do camarote”, dentre os quais está gastar mais de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais) em uma noite de festa. Qual o interesse de veicular esta notícia em um blog cristão? Explico-me.

O rei do camarote é a apoteose de um mundo caído. Um mundo em que os valores predominantes são as diversões vazias. Cada pessoa possui um vazio em seu coração e procurará preenchê-lo com aquilo que encontrar pela frente, ou seja, o que o mundo tem a oferecer. É aquilo que Alexander mostra em seu vídeo: roupas de grife, carros importados, mulheres bonitas, bebidas fortes, festas suntuosas, fama, etc. As pessoas procuram preencher esse vazio com essas coisas e isso lhes dá uma sensação boa, mas só até a festa acabar. Quando a festa acaba, o sentimento de incompletude volta e o indivíduo sai para procurar uma nova festa. E isso torna-se um ciclo vicioso interminável, pois nem todas as festas do mundo poderão suprir a necessidade espiritual ou preencher o vazio.

Esse vazio que as pessoas sentem só pode ser preenchido por Jesus Cristo. As pessoas possuem uma necessidade espiritual (conforme explicitado em Mateus 5:3), que gera esse vazio em seus corações. Logo, apenas o próprio Deus vivo pode gerar a completude do ser humano. O compromisso com Jesus Cristo é algo muito mais profundo e gratificante do que todos os prazeres mundanos que o mundo tem a oferecer.

Jesus Cristo não agrega valor ao seu camarote, mas Ele é a resposta para os seus anseios e para os anseios da humanidade.

Autor: Rodrigo Bilhalva

Anúncios