Tags

, , , ,

Tipo: Perguntas e Respostas / Autor: Pr. Airton Evangelista da Costa

Vejam as opiniões de alguns irmãos consultados:

Do irmão Adolpho Schimidt:

Esporte é agradável a Deus?

Pouquíssimas modalidades de esporte não são de competição. Na maioria há dois adversários, individuais ou coletivos. A “vontade de ganhar” pode acirrar a rivalidade até a luta corporal e verbal, à briga.

A irmã Mary respondeu com sabedoria porque com a Bíblia que tudo é pecado que não provém da fé – em Cristo Jesus.

A partir daí é possível verificar o quanto também cristãos agem fora ou dentro das normas do Evangelho, no qual vale a obediência da fé.

Se, portanto, a prática do esporte visa fortalecer o corpo e o espírito de fraternidade, mesmo em “diálogo pugnaz somático”, ou seja, competição, e não houver devido à atividade prejuízo por omissão para esposa e família, igreja etc. – decerto convém. Do contrário, a resposta é óbvia.

Suponho podermos seguir nesta questão o que Paulo escreveu em 1Tm 4.1-5, destacando o item “alimentos”. Pois “o pão nosso de cada dia” é complexo. Lutero explicou o que significa o pão cotidiano:

“Deus, em verdade, dá o pão de cada dia, mesmo sem a nossa prece, a todas as pessoas, também aos ímpios. Mas suplicamos nesta petição que nos faça reconhecê-lo e receber com agradecimento o pão nosso de cada dia”.

E acrescenta que o pão de cada dia é:

“Tudo o que pertence ao sustento e às necessidades da vida, como por exemplo: comida, bebida, vestes, calçado, casa lar, campos, gado, dinheiro, bens, consorte fiel, filhos piedosos, empregados fiéis, superiores piedosos e fiéis, bom governo, bom tempo, paz, saúde, disciplina, honra, leais amigos, bons vizinhos e coisas semelhantes”.

Tenho por certo que entre “coisas semelhantes” pode constar o futebol, sempre com o discernimento de 1Tm 4.1-5, donde cito:

“… alimentos, que Deus criou para serem recebidos, com ação de graças, pelos fiéis e por quantos conhecem plenamente a Verdade; pois tudo que Deus criou é bom, e, recebido com ação de graças, nada é recusável, porque, pela Palavra de Deus e pela oração, é santificado”.

Eu excluiria desta relação esportes radicais como pugilismo, alpinismo sem proteção adequada, “bungie jumping” (não sei se escrevi corretamente), corridas e saltos de carro bem como todos os excessos, especialmente nas modalidades competitivas, com agressão física e verbal, causada não só pelo “sangue quente”, mas igualmente pela ganância.
Do irmão Marcos Grillo:
Pessoalmente, não vejo mal na prática do futebol. Os problemas só surgem quando os ânimos se exaltam por causa de jogadas mais ríspidas ou de falhas individuais. É comum (e triste) ouvir entre os aficionados do futebol que “futebol de crente tem mais brigas do que futebol de não-crente”. Isso é que não pode acontecer.

Da irmã Mary Schultze:

Como diz Paulo, tudo que não é de fé é pecado! O jogador é que deve saber se isso é ou não é pecado. Se ele o faz para a glória do Senhor, então é ótimo!

Do irmão Franck:

Jogar futebol, brigando, cuspindo no adversário, irando, desrespeitando a assistência é pecado. Jogar futebol pelo prazer de praticar um esporte saudável com respeito e amizade não é pecado.

Do irmão Benício Cunha Júnior:

Acredito que a prática do futebol não é pecado.
• Faz bem fisicamente ao indivíduo;
• Distrai a mente;
• Aperfeiçoa a prática da habilidade de coordenação motora; etc.
A Bíblia não menciona Contrariedade ou favoritismo explícito quanto ao futebol ou prática de qualquer esporte, o que significa que o conceito é livre. O que existe são princípios bíblicos que regem a vida do crente e através destes princípios devemos medir se praticar futebol torna-se ou não pecado.
O esporte em si não é pecado. Porém, devo dizer que quando o jogador executa a prática do futebol para descarregar suas iras, falar palavras de baixo escalão, tem forte apego à rivalidade com o seu adversário, não estabelece uma relação de respeito com seus companheiros de jogo, etc, aí então o jogador aflora o pecado. O Problema, não está no esporte em si, o problema continua no homem que muitas vezes desperta o seu velho homem nas práticas e corrompe tudo. Com certeza quem é violento e maldizente quando joga futebol o é também em outras situações.
Há de se considerar ainda uma outra questão: A Bíblia nos ensina que não devemos escandalizar os nossos irmãos. Vamos supor o seguinte:
Alguém congrega com irmãos que se escandalizam com este esporte, e não respeitando isso ele pratica o futebol em tom de egoísmo e provocação. Logo esta atitude também torna-se pecaminosa, pois não houve respeito com a sensibilidade do irmão em Cristo. O apóstolo Paulo nos diz que “todas as coisas me são licitas, mas nem todas convém”, portanto, se o futebol escandalizar irmãos que congregam comigo, devo deixar de prática-lo em respeito à eles e principalmente à Palavra. Embora seja uma prática lícita, mas neste contexto não se torna conveniente. Note bem que estou restringindo o contexto à irmãos que congregam na mesma igreja (local), não me refiro à opinião de grupos ou denominações inteiras, pois isto seria muito genérico, mas creio que a situação deve ser sempre levada em consideração em sentido restrito
Concluindo, posso dizer que não só o futebol, mas qualquer esporte que envolva o choque entre alguns irmãos deve ser medido e pesado pela Palavra de Deus e pelo amor aos irmãos visando o bem comum e uma situação de estabilidade para Glória de Deus.

Do pastor Airton Costa:

Vejam que são várias opiniões, mas todas convergem para um só sentido: depende de como se faz e qual a intenção. O esporte saudável pode ser praticado, desde que o objetivo seja o lazer, o exercício físico, a conservação da saúde, a aproximação das pessoas e das nações; o convívio fraterno entre etnias diversas. A prática de esporte em nível profissional também pode se enquadrar nessas condições. Por sua violência, estão de fora dessas premissas os esportes violentos, capazes de causar lesões nos competidores, ou leva-los à morte. como no caso do boxe, e outros que colocam em risco a vida dos competidores. No mais, devemos pensar no que disse o apóstolo:

“Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para a glória de Deus. Portai-vos de modo que não deis escândalo nem aos judeus, nem aos gregos, nem à igreja de Deus” (1 Co 10.31-32).

http://www.palavradaverdade.com – Perguntas/Respostas
15.03.05

Anúncios