Tags

, ,

Pr. Martin Luther King

Pr. Martin Luther King

Jesus Cristo foi um subversivo. Nadou contra a maré em praticamente todos os aspectos de sua época. Ouso dizer que suas pregações continuam sendo contrárias à maioria das nossas práticas também hoje. Creio que a mais absurda das suas propostas foi “dar a outra face” ao agressor (Mateus 5.39); não tenho dúvidas de que esta é a maior afirmação pacifista de todos os tempos. Tão contrária ao padrão humano que só consigo, à primeira vista, lembrar-me de dois nomes que a praticaram (além do próprio Cristo): Luther King e Gandhi.

O pastor Martin Luther King foi um dos maiores nomes da história do século XX. Curiosamente, sua luta contra o racismo institucional americano deu-se enfrentando o maior governo protestante do mundo. O centro da oratória e da proposta de King era jamais reagir às agressões dos brancos racistas, entregando seus corpos para serem espancados até que a verdade da igualdade entre os homens fosse aceita. Entre as preciosidades que ele nos legou está o discurso “I have a dream”, que você pode assistir legendado no Youtube:
Discurso de Martin Luther King

Martin Luther King recebeu em 1964 o Prêmio Nobel da Paz justamente por pregar a resistência não-violenta contra o preconceito racial. Dar a outra face, foi apenas o que ele propôs. Apenas?

Outro grande nome que defendeu a mesma ideia foi Mahatma Gandhi. Para nossa ignomínia, ele utilizou a proposta subversiva de dar a outra face contra um império cristão, o Império Britânico. Enquanto os cristãos mandavam balas e bombas, os hindus respondiam cruzando os braços. Gandhi nem discursava; apenas executava seus memoráveis jejuns. Conquistou a independência da Índia sem dar um tiro sequer. Deu a outra face, só isso. Só?

Dar a outra face, após apanhar na primeira, é absurdo; não é natural – até nossa biologia nos leva a reagir para sobreviver. O fato é que os três praticantes da proposta pacifista aqui citados – Cristo, Luther King e Gandhi – morreram de maneira violenta enquanto davam a outra face. Cristo foi crucificado por volta de 27 d.C.; Gandhi foi morto a tiros em 1948; e Luther King foi assassinado, também a tiros, em 1968. O “dar a outra face” é muito mais do que uma retórica, vai além da justiça a ser alcançada; ele é a afirmação de paz como objetivo final, expressão máxima de um amor disposto a morrer pelos amigos e pelos inimigos.

Difícil, não é? Como não combina muito com a retórica triunfalista por aí alardeada, dificilmente vemos alguém pregar (ou praticar) essa absurda proposta de Jesus. O amor é mesmo muito doido.

Autor: André Daniel Reinke
Fonte: Curiosidades Bíblicas

Anúncios